Blog do Téo José

Arquivo : junho 2014

Indy na Copa e na TV
Comentários Comente

Téo José

HelioCastronevesDet14.1Por Rogério Elias

Neste final de semana a Fórmula Indy faz mais uma rodada dupla. Desta vez, os carros da categoria vão ao Reliant Park, na cidade texana de Houston, onde correm neste sábado e domingo atrás da vitória.

Para os brasileiros, esta será uma boa chance para os brasileiros melhorarem sua situação em seus times. Hélio Castroneves (Penske), tenta descontar a diferença de 39 pontos que tem para seu companheiro de equipe e líder do campeonato, Will Power. Já para Tony Kanaan (Ganassi), esta é uma excelente chance de afirmar-se dentro do time que defende neste ano, já que nas provas anteriores ele teve vários problemas com o carro e com o time e apenas teve como destaque um pódio em Detroit.

Neste fim de semana, a Fórmula Indy terá horários diferenciados por conta dos jogos da oitavas de final da Copa do Mundo, já que a prova começa às 16h45 tanto no sábado quanto no domingo e neste dias teremos os jogos Uruguai x Colômbia e Costa Rica x Grécia, válidos por esta fase da competição mundial. O Bandsports transmite as duas corridas às 20h. Já a Band passa a primeira prova em VT na madrugada de sábado para domingo e a segunda corrida, no domingo, durante o 3º Tempo.

Confira a programação do final de semana da Fórmula Indy para o GP de Houston:

Sexta-feira – 27 de junho
12h às 12h45 – Treino Livre 1
15hh55 às 16h40 – Treino Livre 2

Sábado – 28 de junho
12h00 às 13h10 – Classificação
16h45 – Corrida 1

Domingo – 29 de junho
12h às 12h30 – Classificação 2
16h45 – Corrida 2

Rogério Elias, editor do site Amigos da Velocidade, escreve neste espaço como convidado do narrador Téo José que se dedica quase integralmente à Copa do Mundo nas próximas semanas.


Nico, de novo. Finalmente a Williams, mas com Bottas
Comentários 28

Téo José

nico

Por Rogério Elias

Finalmente a Williams conquistou, nesse domingo (22), seu melhor resultado no ano. O time britânico foi ao pódio no GP da Áustria de F1. Mas, o terceiro lugar na prova foi obra do bom piloto finlandês Valtteri Bottas – que está em sua segunda temporada completa na categoria. O experiente Felipe Massa, que largou da pole position no circuito de Spielberg, fechou a disputa somente na quarta colocação.

Bottas faz um campeonato consistente com a Williams. Ele tirou o melhor do carro 2014 até agora e chegou a 55 pontos na tabela de classificação. Massa também chegou ao seu melhor resultado no ano. A quarta posição na Áustria garante ao brasileiro mais 12 pontos no campeonato e ele chega a 30 no total.

A corrida foi definida nos pit stops. O melhor trabalho e estratégia da Mercedes nos boxes significou mais uma vitória de Nico Rosberg. O time alemão foi mais preciso, claro, mas o melhor equilíbrio dos carros prateados na pista ajudaram e muito. Lewis Hamilton cruzou a linha de chegada na 2ª colocação. Fez uma bela prova. Largou em 9º e se recuperou do erro na Classificação. Mas não conseguiu atacar seu companheiro em nenhum momento da prova.

Felipe Massa afirmou que perdeu a chance de um melhor resultado no primeiro pit stop. Segundo as palavras do piloto, ele ‘não sabe o que aconteceu’. Mas o fato é que voltou atrás dos carros da Mercedes e ficou numa situação difícil na prova. De qualquer forma, a Williams não tinha pretensões maiores, salvo as circunstâncias da disputa, do que conquistar a 3ª colocação.

E Hamilton terá que digerir mais um golpe de Rosberg nesse Mundial. É a terceira prova seguida que o piloto alemão chega à frente do inglês. A confiança de Rosberg só vem aumentando. Ele está correndo ‘com a cabeça’ e cometendo poucos erros. A chance de título, a cada prova, fica mais clara. Rosberg tem 165 pontos no campeonato contra 136 de Hamilton. Sua vantagem aumentou para 29 pontos.

Confira tudo no site Amigos da Velocidade

Rogério Elias, editor do site Amigos da Velocidade, escreve neste espaço como convidado do narrador Téo José que se dedica quase integralmente à Copa do Mundo nas próximas semanas.


Volta perfeita de Massa. Olho na estratégia agora
Comentários 8

Téo José

Massa

Por Rogério Elias

Não há reparo para o treino de classificação de Felipe Massa, nesse sábado, para o GP da Áustria. O piloto da Williams encaixou uma volta perfeita na tomada de tempos no circuito de Spielberg e retornará a liderar um grid na categoria após quase seis anos. A última vez foi em 2008 no Brasil. Massa registrou 1min08s759 e colocou 0s087 para o segundo colocado – Valtteri Bottas – e exatos 0s185 para o alemão Nico Rosberg (Mercedes), o 3º colocado.

A chance de Felipe conseguir o melhor resultado do ano para ele e para a Williams aumentou bastante. O carro da escuderia britânica se adaptou muito bem ao circuito austríaco. O conjunto chassi/aerodinâmica/pneus está conseguindo a melhor performance em relação aos rivais. Até agora, os carros de Massa e Bottas foram os que tiraram melhor proveito dos compostos de borracha.

A possibilidade é boa. Mas a concentração terá que ser ótima na corrida. Tanto Massa quanto a Williams terão que elaborar e cumprir uma estratégia sem erros nesse domingo para tentar desafiar a Mercedes. Rosberg tem um carro bem equilibrado e, sobretudo na largada, vai partir para cima. Lewis Hamilton, mesmo largando mais atrás, por conta de um erro da volta lançada, não pode ser descartado. Lewis alinha na nona colocação.

O circuito da Áustria oferece pontos de ultrapassagem e a corrida será bem interessante.

PS:. A Red Bull, correndo em casa, passou certa vergonha neste treino qualificatório. Sebastian Vettel ficou na 13ª colocação. Daniel Ricciardo ainda salvou o dia com uma 5ª posição no grid.

Leia o site Amigos da Velocidade

Rogério Elias, editor do site Amigos da Velocidade, escreve neste espaço como convidado do narrador Téo José que se dedica quase integralmente à Copa do Mundo nas próximas semanas.

 


Qual o problema com Manaus?
Comentários Comente

Téo José

manaus

Em janeiro publiquei este texto em defesa de Manaus, que estava sendo atacada por sediar a Copa do Mundo. Com o inicio da competição e nenhum grande problema, muita gente resolveu visitar o espaço e fazer comentários sobre as linhas abaixo. Por isso resolvi republicá-lo. Estive em Manaus na bela vitória da Itália sobre Inglaterra. E comprovo tudo que escrevi abaixo. Pena que a cidade poderia ter mais obras de legado para o pós Copa. Mas isto é outra história da qual falaremos depois da competição.

===

Primeiro foi o treinador da Inglaterra e parte da mídia inglesa, agora vem o técnico da Suíça criticar Manaus como sede da Copa do Mundo. O tal Ottmar Hitzfeld, comandante da seleção suíça, disse ser quase uma irresponsabilidade realizar uma partida da Copa, no meio da floresta amazônica. Ele deveria estar satisfeito por jogar em um local tão especial. Conheço bem Manaus e o Amazonas, já fui a passeio e me hospedei literalmente na floresta e também trabalhei por quatro anos no Festival de Parintins, uma de minhas paixões. Além de fazer outros eventos para TV.

Não tenho nada do que reclamar. Pelo contrário. É quente? Sim, bastante. Como será em Cuiabá, Natal, Recife, Salvador e quem sabe até no Rio e São Paulo, onde tivemos temperaturas bem elevadas na semana passada. Como também foi na Copa dos EUA e foi um frio tremendo na África do Sul.

Claro que Manaus está devendo em obras para Copa, como todas as outras 11 sedes. Ficar jogando pedra na cidade é que não entendo. Se tem uma escolha que defendo é Manaus. Mostrar as belezas naturais do Amazonas é um dever deste país. Até mesmo para se preservar e melhorar.

Estes caras andam reclamando sem nenhum conhecimento. Isto também é falta de um trabalho dos estados e cidades em se venderem na Copa. Todo mundo está dormindo e estes governantes, repito, em todas as esferas não sabem o que é Copa. Já os tais treinadores não conhecem os lugares e ficam falando abobrinha.

Espero que seja escalado durante a competição para fazer pelo menos um jogo em Manaus. Será um grande prazer.


Na Áustria, Massa tem outra chance de brigar pelo pódio
Comentários 4

Téo José

Massa

Por Rogério Elias

Como era esperado, o domínio da Mercedes será a tônica do GP da Áustria neste fim de semana de F1. Os flechas prateadas já são muito equilibrados e adaptaram-se muito bem ao circuito de Spielberg. É bem verdade que durante os treinos livres dessa sexta-feira, Lewis Hamilton reclamou que seu carro perdeu potência (o mesmo problema vivido no Canadá). Mas mesmo assim, preparada para uma eventual pane, a equipe deve ditar o ritmo da prova, largando da pole e vencendo. Resta saber como será a briga entre Hamilton e seu companheiro Nico Rosberg pela vitória.

O fato de ser uma pista absolutamente nova para a grande maioria dos pilotos não faz diferença. Nem para o bem e nem para o mal. Na F1 atual, os competidores pegam ‘a mão’ do traçado em poucas voltas. Primeiro porque o nível de qualidade na condução dos carros é muito alto. E, também, porque eles se preparam muito bem em simuladores de última geração antes sequer de pisar no autódromo num final de semana.

Como a força do motor é um dos pontos fundamentais para um bom resultado neste circuito de Spielberg, além dos carros da Mercedes, a equipe Williams surge como uma candidata ao pódio na Áustria. Valtteri Bottas e Felipe Massa conseguiram ficar entre os cinco primeiros nesta 6ª-feira de treinamento e, no meu entender, poderão brigar pelo terceiro lugar. A Red Bull será a principal adversária nessa luta. O dia foi discreto para os RBR, mas eles estão correndo em casa.

Obviamente que brigar pelo pódio neste domingo (22) significa também sonhar com uma vitória, mas desde que os carros da Mercedes enfrentem algum tipo de problema – como aconteceu no Canadá há quase duas semanas. Para Williams, Red Bull e Ferrari será obrigatório fazer bem feito o dever de caso – com relação a estratégia e paradas de box – para, então, ver o que acontecerá na disputa da Mercedes lá na 1ª posição.

Veja a cobertura no site Amigos da Velocidade 

Rogério Elias, editor do site Amigos da Velocidade, escreve neste espaço como convidado do narrador Téo José que dedica-se quase integralmente à Copa do Mundo nas próximas semanas.


Mais uma decisão
Comentários 1

Téo José

arenacorinthiansDepois de ver o jogo abaixo do esperado no empate do Brasil com México, em Fortaleza. Estou de novo em São Paulo. Logo mais estarei na Band, com mais uma decisão: Inglaterra e Uruguai. Dois times que perderam na estreia. A diferença foi que a Inglaterra jogou bem contra Itália. É um time que gosto de ver jogar, marca muito e quando sai para o ataque tem uma velocidade incrível. Gosta da bola no chão, tem técnica, habilidade e faro de gol. O Uruguai desde as eliminatórias não se achou, mas hoje tem a volta do Suárez, que teve sua melhor temporada na carreira. O artilheiro na Inglaterra, pode não estar 100%, depois da artroscopia no joelho, mas é uma grande fera. Não tenho dúvida vai ser um jogão e quem perder, já era.

No Brasil existe a possibilidade de mudanças para o jogo contra Camarões. Eu pensaria seriamente em deixar Oscar mais plantando no meio, sair dos lados do campo. Se Paulinho não vive uma boa fase, esta pode ser a solução. Porque tirá-lo vai expor demais a zaga. Outra posição que poderia mexer é na lateral direita, Daniel Alves não chegou uma vez na linha de fundo. Quem sabe não seria de novo, a hora do Maicon. Apesar do que vi e não gostei na terça, tenho absoluta confiança na classificação.

Fora de campo, ainda vejo muita gente trabalhando na organização, segurança e informação sem preparo algum. As coisas tem melhorado, mas ainda não estão perto do ideal. A invasão de chilenos, ontem, no Maracanã foi prova disto. O que tanta gente sem ingresso estava fazendo perto da entradas do estádio? Para que servem as barreiras de checagem? Às vezes, com uma arrogância sem nenhuma explicação. Outro fator que deixa a desejar é a parte de alimentação, para torcedores e para quem trabalha. Bem inferior que a Copa da África.

Dentro de campo uma grande Copa, já temos média de gols bem superior as ultimas e nesta toada podemos ter a melhor de todos os tempos. As torcidas latinas também tem feito a festa. Isto sim é espírito e clima de Copa. Que venha mais, muito mais.


F1: a pista que quase ninguém conhece
Comentários 1

Téo José

Red Bull

Por Rogério Elias

O GP da Áustria retorna ao calendário da F1 depois de onze anos. A Red Bull comprou a antiga pista A1 Ring, em Spielberg, renovou, modernizou e convenceu Bernie Ecclestone a reintroduzir a corrida na programação. A última prova por lá aconteceu em 2003, com vitória de Michael Schumacher pela Ferrari. Um ano antes, em 2002, a fatídica corrida em que Rubens Barrichello foi obrigado a ceder a primeira colocação para o heptacampeão do mundo.

Apenas quatro pilotos atuais já correram na pista austríaca: Jenson Button, Felipe Massa, Kimi Räikkönen e Fernando Alonso. Os demais, obviamente, não tem experiência prévia. Incluindo, claro, os dois pilotos da Mercedes (Nico Rosberg e Lewis Hamilton) que efetivamente brigam pelo título em 2014.

Aliás a briga pela vitória na Áustria deverá ficar restrita mais uma vez a Rosberg e Hamilton – salvo algum problema como aconteceu no Canadá. A equipe Red Bull, de Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel, mesmo correndo literalmente no quintal de casa, dificilmente fará frente a Mercedes e terá que  lutar apenas pelo pódio.

A previsão do tempo indica chances de chuva na sexta-feira, dia de treinos livres, com temperatura entre os 9ºC e os 21ºC. No sábado, o sol aparece entre nuvens e a possibilidade de chuva diminui bastante (9ºC a 22ºC). O domingo será um dia ensolarado com temperatura entre os 11ºC e 25ºC.

Programação:

Sexta, 20
05h00 – 06h30: Treino Livre 1
09h00 – 10h30: Treino Livre 2

Sábado, 21
06h00 – 07h00: Treino Livre 3
09h00: Classificação

Domingo, 22
09h00: Largada (71 voltas)

Rogério Elias, editor do site Amigos da Velocidade, escreve neste espaço como convidado do narrador Téo José que dedica-se quase integralmente a Copa do Mundo nas próximas semanas.


Arena Amazônia com bom esquema
Comentários 1

Téo José

ArenaAmazoniaNeste sábado estive na Arena Amazônia, com Inglaterra e Itália, o melhor jogo até agora. Aprovo também a organização. Tudo sinalizado, com pessoas que sabiam o que estavam fazendo ali e prontas para ajudar com boa vontade e educação. Um clima bem positivo e de Copa do Mundo. Com pouco mais de uma hora, após a partida, o transito já fluía bem e o torcedor já tinha deixado o estádio. Diferente do clima e preparo de muitas pessoas na abertura, na Arena Corinthians, principalmente quem era contratado do comitê local.

A cidade também teve uma segurança bem rígida. Mesmo com milhares e milhares de ingleses e italianos, não tive noticia, até agora, de maiores problemas. O se não, é a falta de visão do turismo local, que poderia ter aproveitando, tanta gente de fora para mostrar de forma mais agressiva as atrações e principalmente o Festival de Parintins, nada extra foi feito neste sentido, pelo menos que eu tenha visto.

Agora já estou em Fortaleza, onde terça narro Brasil e México, na Band. Mais uma vez gostei do que vi do aeroporto até o hotel. Muita sinalização, várias placas vendendo a cidade dando boas vindas aos torcedores. Na Copa da Confederações Fortaleza foi a que mais aproveitou o evento e continua na mesma pegada para a Copa.

Uma Copa que já pegou. Podemos dizer que é a Copa das torcidas sul-americanas, que vem dando um show e colorindo as cidades, por onde passam Colômbia, Chile e Argentina. O pessoal do México também tem tido um espaço especial.


Ufa!! Brasil sobe o primeiro degrau
Comentários Comente

Téo José

manaus

Como conversamos, estreia em Copa do Mundo sempre é complicado. Nos últimos nove anos, nove vitórias e só duas vezes por um placar superior a dois gols de diferença. Um deles ontem, nos 3 a 1 frente a Croácia. O pênalti bem polêmico. Tem uma mão do Lovren no braço do Fred, mas se foi o suficiente para deslocá-lo é outra coisa. O juiz embarcou. A falta no Júlio César aconteceu. O jogador da Croácia ‘deixa o corpo’ no goleiro brasileiro.

No fundo, apesar do sufoco, o Brasil mereceu. Mesmo não jogando bem. Pontos positivos: Neymar em sua estreia de Copa, não só pelos gols, mas principalmente pela personalidade; Luiz Gustavo e Oscar, este último voltou a ser o da Copa das Confederações e do Chelsea do ano passado.

Fora do campo vi uma Arena Corinthians cheia de remendos e maquiagem, ainda falta muito para ficar pronta e um pouco informação visual e das pessoas responsáveis por isso. Não deve ter sido fácil para o torcedor chegar. Eu mesmo credenciado – e com carro credenciado – fui jogado para várias entradas e dei volta pra caramba.

Boa parte de quem ganha para fazer o serviço de organização de entradas e trajetos está despreparada e ainda tem muita gente com falta de outro tipo de preparação: a educação. A arrogância ganha. Vamos dar um desconto. Foi o primeiro jogo. Só que foi o primeiro para todos, inclusive o torcedor.

Estou seguindo para Manaus, terra que adoro, nesta sexta-feira tem Inglaterra e Itália. Mas antes vou ver se assisto um ensaio de um dos Bois do meu amado Festival de Parintins.